Pubicado em: qui, dez 7th, 2017

MedCasa completa dois anos e mais de 5 mil entregas realizadas

Esteio – Até dois anos atrás, cada ida de Elisabete Nogueira a Farmácia Básica Municipal para buscar os remédios e fraldas para sua mãe, Jurema Carlota Nogueira, era uma preocupação. “Como moro sozinha, tinha que pedir para uma vizinha cuidar. Aí, eu pegava um carrinho de supermercado e ia até a farmácia”, comentou a moradora do Centro. No final de novembro de 2015, a Prefeitura de Esteio instituiu o Medicamento em Casa (MedCasa) e ela passou a receber em casa os produtos necessários para o cuidado de Jurema, hoje com 90 anos, acamada desde março de 2014, em consequência de um AVC. “Fiquei sabendo bem no início do programa e fui atrás para saber como participar. Aliviou um monte para mim, eu amo esse projeto”, exclama.

Jurema é um dos 316 usuários ativos do MedCasa atualmente. Com a iniciativa, uma equipe da Farmácia Básica Municipal leva remédios de uso contínuo à casa de pacientes esteienses. Têm direito ao MedCasa pacientes acamados permanentemente, usuários de oxigenoterapia, idosos com mais de 80 anos, pessoas com deficiência (PCDs) e também os cuidadores destas pessoas. Além dos medicamentos de uso contínuo, os pacientes recebem fraldas geriátricas, fitas HGT (para testes de glicose) e dieta enteral, além de orientações para o uso dos produtos (veja no fim do texto como se cadastrar).

Entre novembro de 2015 e outubro de 2017, foram feitas 5.176 entregas de remédios na casa dos pacientes. Para realizá-las, os integrantes da Farmácia rodaram neste período 16.568 km (uma média de 690 km por mês) – em linha reta, é a distância, por exemplo, de Esteio a Lisboa (Portugal). “As rotas são organizadas por região e cada usuário recebe a quantidade de medicamentos e demais produtos para dois meses”, explica a coordenadora do serviço, Juliana Lucas Kohlrausch. Dificuldades de estoque de alguns remédios fornecidos pela Prefeitura, registradas no início do ano, já foram solucionadas.

A distância entre o Jardim das Figueiras e a Farmácia Básica deixou de ser uma dificuldade para Docelina de Fátima Oliveira conseguir os remédios para o marido, Olmar Oliveira, de 66 anos. “Não tinha com quem deixar ele para ir lá buscar. De um ano para cá, depois de me cadastrar, melhorou 100%”, afirma.

Moradora do Bairro São Sebastião, Clélia Maria dos Santos cuida da mãe, Maria Amélia dos Santos, de 92 anos, que teve uma perna amputada, em 2009, por causa de uma trombose. Maria Amélia morava em São Leopoldo e um filho precisava ficar na fila para retirar os remédios. Com a mudança da mãe para Esteio, Clélia ficou sabendo do MedCasa em um evento na rua, há mais de um ano, em frente a Unidade Básica de Saúde (UBS) Prefeito Juan Pio Germano (Ezequiel) e logo se cadastrou. “O pessoal do posto de saúde conversou comigo e falou sobre o serviço. Foi muito importante me inscrever, é muito prático, dá uma super ajuda. Além da mãe, eu também recebo em casa meus remédios para hipertensão, para que possa ficar cuidando dela”, comenta Clélia.

Caso o paciente tenha direito ao MedCasa, seus responsáveis deverão fazer o preenchimento da ficha, que pode ser retirada nas unidades básicas de saúde (UBSs). Após, o responsável deverá apresentar o formulário e os documentos exigidos (veja lista abaixo) na Farmácia Básica Municipal (esquina da Rua Dom Pedro com Aristides Stumph), base do MedCasa, de segunda a sexta-feira, das 13h30min às 16h30min. A equipe do programa analisa a documentação e, confirmada a necessidade de entrega em casa, o paciente receberá os medicamentos durante o período de validade da receita.

Mais informações podem ser obtidas junto à unidade de saúde de referência do paciente ou com a Farmácia Básica Municipal, pelo telefone 3459-5732.20171127_EduardoBarattoLeonardi_EntregasMedCasa_abre