Pubicado em: ter, nov 28th, 2017

Esteiense conquista medalha na Olimpíada Brasileira de Matemática

Felipe Strapasson Spolidoro, 13 anos, sempre estudou no Centro Municipal de Educação Básica (CMEB) Oswaldo Aranha. Filho de uma economista e um engenheiro, se criou em meio a números, índices, cálculos, planilhas e gráficos. Incentivado em casa pelos pais e pela irmã, que está se formando em Engenharia, e por professores na escola, dedicou atenção especial a uma matéria que a maioria dos garotos e garotas da sua idade têm medo e querem distância: a Matemática.

O resultado do esforço já começa a aparecer. Na última quarta-feira (22), o estudante recebeu a notícia de que havia conquistado, mais uma vez, medalha na Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas (OBMEP). Felipe disputou a final com outros 265.189 estudantes de Nível 2 da competição (alunos de oitavos e nonos anos) de todo o país e ficou com a medalha de prata, distinção dada aos 500 melhores colocados. No ano passado, o garoto havia conquistado a medalha de ouro no Nível 1 (sextos e sétimos anos), premiação que recebeu em evento no Theatro Municipal do Rio de Janeiro no último dia 14. Em 2015, ficou com uma Menção Honrosa.

Nesta terça-feira (28), o estudante, a diretora do CMEB Oswaldo Aranha, Márcia Rejane Aguiar, e a vice-diretora da escola, Vivian Rolim, foram recebidos pelo prefeito Leonardo Pascoal. “Essa conquista é muito importante, não só para o Oswaldo, mas para toda a cidade, ainda mais por se tratar de uma matéria que os estudantes têm muita dificuldade. Apenas 14% dos alunos do nono ano têm conhecimento adequado nesta área. És um orgulho para nossa cidade e tenho certeza de que terás muito sucesso, sucesso que já estás tendo. Que tua conquista motive os outros estudantes”, afirmou o prefeito.

Pascoal conversou rapidamente com as diretoras sobre a educação no geral, ressaltando que as escolas têm que adequar o ensino à nova realidade mundial, modificada, sobretudo, pelo uso da tecnologia, e destacou a importância de competições como a OBMEP para o desenvolvimento dos estudantes. O prefeito lembrou que ele conquistou o primeiro lugar do Rio Grande do Sul na Olimpíada Brasileira de Química, em 2007, e a medalha de prata na Olimpíada Internacional de Projetos em Meio Ambiente, cuja final ocorreu na Turquia, em 2008, além de outras premiações.

Conquistas também no Xadrez
Com voz baixa, Felipe fala com timidez das conquistas que já teve, não só na Matemática como no Xadrez. Bicampeão dos Jogos Estudantis de Esteio (Jedes), em 2016 e 2017, o aluno do Oswaldo Aranha conquistou, este ano, a medalha de prata nos Jogos Escolares do Rio Grande do Sul (Jergs).

Quando perguntado sobre que profissão quer seguir, não pensa muito: “Penso em Engenharia ou alguma outra profissão na área de Exatas”, ou seja, algo que se relacione com números.

Mas Felipe não é bom apenas com os números. As questões da segunda final da OBMEP são discursivas. Além de fazer o cálculo, o estudante precisa explicar como chegou ao resultado. “No dia da prova final, que foi no Oswaldo Aranha, uma das avaliadoras comentou que estava encantada na forma como um aluno se concentrava e escrevia as respostas. Depois fomos ver quem era e era o Felipe”, conta, com orgulho, a vice-diretora Vivian.20171128_DjalmaCorreaPacheco_AlunoMedalhaOlimpiadaMatematica_abre