Pubicado em: qui, nov 16th, 2017

Aedes aegypt, ação de combate detecta larvas do mosquito em 42 imóveis

Sapucaia – Os sapucaienses devem ficar atentos e fazerem a sua parte para eliminar os focos de criação de larvas do mosquito Aedes aegypti em Sapucaia do Sul. Através do Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti – LIRAa, realizado entre os dias 6 e 13 de novembro, a Prefeitura de Sapucaia do Sul, através da Secretaria Municipal da Saúde, encontrou larvas do mosquito em 42 imóveis, dos 31 bairros vistoriados. Em cerca de 80% dos bairros visitados pelas equipes da Vigilância Ambiental foi comprovada a presença do mosquito transmissor da Dengue, do Zika Vírus e da Febre Chikungunya. Foram vistoriados 1.489 imóveis.

Segundo o secretário municipal da Saúde, Neio Lúcio Pereira, as larvas estavam depositadas, predominantemente, em pequenos depósitos, como vasos, potes, bacias, baldes, regador, além de pneus, lonas e bromélias. “Isto comprova que o mosquito está presente dentro das casas das pessoas e, por isso, é necessário a conscientização para que cada cidadão cuide do seu lar, do seu pátio, eliminando os possíveis criadouros. Embora haja trabalho contínuo de vistoria dos domicílios e orientação por parte das equipes de saúde da Prefeitura, ainda falta mudança de hábitos. É necessário mais engajamento dos sapucaienses”,  ressaltou o secretário.

Os cidadãos dos imóveis onde foram identificados os focos do mosquito serão comunicados através de termo de ciência. Caso ainda permaneça o foco este será tratado. Os valores encontrados no LIRAa determinaram um Índice de Infestação Predial (IIP%) geral de médio risco para o município de Sapucaia do Sul, o que insere-o na situação de alerta de risco de transmissão de dengue de acordo com a categorização do Ministério da Saúde. Esta categorização baseia-se nos índices de infestação do mosquito.

BAIRROS – Trabalharam diretamente na execução do levantamento 94 profissionais, entre agentes de endemias e agentes comunitários de saúde, além de motoristas, agentes administrativos e biólogos. Detectou-se neste levantamento a presença de Aedes aegypti  em cerca de 80% dos bairros trabalhados pelas equipes. Foram eles: Cohab, Fortuna, Colonial, Três Portos, Getúlio Vargas, Piratini, São José, Freitas, Diehl, Paraíso, Capão da Cruz, Primor, Santa Catarina, Centro, Ipiranga, Vargas, Colina Verde, São Cristóvão, Bela Vista, Santa Luzia, Sete, Lomba da Palmeira, Pasqualini, Boa Vista e Nova Sapucaia. Ao longo de 2017, a Vigilância em Saúde contabilizou até agora 545 focos de Aedes aegypti  na cidade.

A equipe da Vigilância Ambiental continuará suas atividades de rotina, tais como visitas domiciliares preventivas, inspeção aos Pontos Estratégicos (borracharias, cemitério, reciclagem, demolidoras), atendimento das demandas, ações educativa, aplicação de larvicidas e inseticidas. Os agentes comunitários de saúde continuarão realizando visitas domiciliares para orientação e eliminação de focos no seu território.Ação de combate detecta larvas do mosquito em 42 imóveis