Pubicado em: qui, ago 10th, 2017

Coluna Olinto Vargas

                                       MAMÃE

 

                        Oh, minha mãe queridinha,

Joia de raro valor!

Oh, minha mãe, mamãezinha,

Mundo de imenso esplendor!

Oh minha mãe, mamãe minha,

Oh, meu encanto de amor!

 

Mamãe, mamãe, mamãezinha,

Rainha do amado lar.

Mamãe, mamãe queridinha,

Ó como é doce te amar!

 

Minha mãe, deste-me a luz

Com todo teu esplendor.

Até hoje me conduz

Com teu olhar sedutor,

Que me alegra e me seduz…

Oh, minha mãe, meu amor!

 

Lá no jardim celestial

No reino da eternidade…

Do teu amor divinal,

Eu sinto tanta saudade;

No mundo não tem igual…

Mamãe, eterna bondade!

 

            Sapucaia do Sul, 06 / 2003

OLINTO  VARGAS