Pubicado em: qui, nov 19th, 2015

Parada LGBT reuniu centenas de pessoas no Calçadão de Sapucaia do Sul

Parada LGBT 15-11-15 Luciana Reichert (103)Uma grande festa com as cores do arco-íris tomou conta do Calçadão, centro de Sapucaia do Sul, ontem, 15 de novembro. A II Parada LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), promovida pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Direitos Humanos, contou com a participação de centenas de pessoas, que foram até o local prestigiar os mais de 30 shows e apresentações artísticas, entre números de dança, dublagem e DJs.
O assessor para políticas LGBT da Secretaria de Direitos Humanos e organizador da parada, Douglas Butzke, disse que esta segunda parada que teve como tema “Vamos colorir Sapucaia” foi construída durante um ano de trabalho intenso que contou, entre outras coisas, com palestras, oficinas e seminários nas escolas sobre o tema LGBT. A ideia foi debater a questão da homofobia e do preconceito entre crianças e jovens. “Este é um momento de festa e de alegria, mas também estamos buscando disseminar o respeito à diversidade, a livre expressão da orientação sexual e da igualdade dos seres humanos”, comentou Butzke.
O secretário municipal de Direitos Humanos, Adilpio Zandonai, destacou que a parada foi um espaço para que todos conhecessem a cultura LGBT e refletissem sobre o preconceito que ainda é forte. “Foi esta Administração Municipal que se empenhou em abrir espaços para discutir sobre preconceitos, tanto de raça quanto de gênero. Estamos atendendo a demanda de uma comunidade que quer uma Sapucaia de direitos iguais e de superação destes atavismos”, frisou. O vereador Edson Portilho, representando a Câmara de Vereadores de Sapucaia do Sul e o tenente do 33º Batalhão de Polícia Militar, João Carlos Plates Betat, também participaram da abertura oficial do evento.
IGUALDADE – Foi com o propósito de assistir diversos shows, entre eles o da cantora Daya Moraes, que cantou seus maiores sucessos Ela, sua versão do hit Umbrella, de Rihanna; e A Fila Anda, que o auxiliar de cozinha Jean Santos, 23 anos, foi até o Calçadão na tarde deste domingo. “Estou amando a festa! Não imaginava que teria tanta gente e está muito divertido, com ótimos shows!”, contou.
Para o casal de Porto Alegre Vladimir Alves, 33, e Alisson de Oliveira, 20, a parada de Sapucaia não perdeu nada para a de outras cidades. “Foi uma das melhores que nós fomos, está muito organizada”, disse Oliveira. Para Alves, a festa contribui para que o preconceito seja amenizado. “Nos locais como as paradas, podemos andar de mãos dadas, coisa que não fazemos no dia a dia. As pessoas se incomodam com a tua felicidade e orientação sexual, então aqui é um lugar que podemos ter um pouco mais de liberdade e a festa colabora para dar visibilidade aos direitos da comunidade LGBT,” contou.
A dona de casa Claudia Luz, 44, foi como o marido, Luiz, 52 e com o filho de 12 anos, para a festa LGBT. “Está muito bonito”, comentou a dona de casa. O marido de Claudia disse que é importante educar os filhos para que eles cresçam sem preconceitos. “Tem que aprender desde cedo e por isso viemos também com o nosso filho”, comentou o metalúrgico.